Categoria Geral  Noticia Atualizada em   11/05/2015   às  14:32:03                   
Catanduva tem 106 Novos Casos Confirmados de Dengue em Uma S
Foto: www.oregional.com.br
Catanduva teve 106 casos de dengue confirmados em apenas uma semana. Isso porque até o dia 30 de abril foram 11.542 positivos, sendo que até sexta-feira (8) registro subiu para 11.678. A informação é da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da cidade. Apesar dos números, a prefeitura afirma que Catanduva já saiu do quadro epidêmico. Motivo pelo qual, até mesmo a nebulização noturna e o atendimento na Unidade de Tratamento da dengue foram encerrados.

Mesmo com número menor de casos registrados diariamente, a cidade é a 2ª do país com maior número de casos confirmados de dengue para cada 100 mil habitantes, conforme dados do Ministério da Saúde, atualizados até abril deste ano. Perde apenas para São João do Caiuá, no Paraná.
O município é ainda primeiro do país em casos de dengue na lista de municípios de 100 mil até 499 mil habitantes. A informação consta em boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde. Com dados até abril, a cidade era computada com 11.454 casos confirmados e 23 mortes. 9.637,1 para cada 100 mil habitantes.
Em todo país foram registradas 229 mortes. 10% deste total se refere aos óbitos registrados em Catanduva, sem contar as 22 mortes ainda investigadas, conforme informado pelo secretário de saúde Marcelo Porcionato, que apresentou os números de dengue, ontem, durante sessão da Câmara.
Catanduva lidera ranking e fica à frente de municípios como Resende, Sumaré, Ourinhos e Birigui, os cinco municípios com mais incidência da doença.
Dengue no Brasil
O Ministério da Saúde divulgou na última semana que o país registrou 745,9 mil casos de dengue do dia 1º de janeiro até 18 de abril. A quantidade é 234,2% maior em relação ao mesmo período do ano passado e 48,6% menor do que o registrado no ano anterior, época em que foram notificadas 1,4 milhão de ocorrências da doença.
A incidência de casos no Brasil para cada grupo de 100 mil habitantes é de 367,8, índice que para a Organização Mundial da Saúde (OMS) representa situação de epidemia (a classificação mínima de epidemia é de 300/100 mil habitantes).
Levando-se em conta esta informação, sete estados estão em situação epidêmica: Acre (1064,8/100 mil), Tocantins (439,9/100 mil), Rio Grande do Norte (363,6/100 mil), São Paulo (911,9/100 mil), Paraná (362,8/100 mil), Mato Grosso do Sul (462,8/100 mil) e Goiás (968,9/100 mil).

No balanço anterior ao desta segunda, divulgado no dia 13 de abril e que referia-se até 28 de março, o país tinha índice de 227,1/100 mil e apenas quatro estados estavam em situação de epidemia.

Das 229 mortes registradas nas 15 primeiras semanas de 2015, 169 foram no estado de São Paulo. Goiás vem em seguida, com 15, além de Paraná e Minas Gerais, com 8 cada.
Até 18 de abril houve 404 casos graves, elevação de 49,6% na comparação com 2014, quando foram registradas 270 notificações do tipo. Segundo o ministério, não é possível comparar ao total de 2013 porque houve mudanças no processo de classificação da doença.

Fonte: www.oregional.com.br
 
Por:  Ludyanna Ferreira    |      Imprimir